Sobre o desespero das mulheres


Hoje li uma noticia sobre uma mulher que simulou o seu sequestro porque queria saber se o namorado se preocupava com ela! WHAT?
Pensei: mais uma adolescente inconsequente. Qual não foi o meu espanto quando, umas linhas abaixo, descrevia uma mulher de 42 anos.
Mas que raio é que aconteceu?
Nesta minha vida singela, tenho-me cruzado com algumas mulheres assim. Estão na casa dos 40/50 anos, são solteiras e completamente desesperadas, desesperadas ao ponto de parecerem autenticas meninas.
Sempre achei que a idade além de trazer as rugas e a flacidez, também trazia coisas boas, tais como, o auto conhecimento, a segurança em nós próprias e a sabedoria para nos apercebermos num minuto se a pessoa que se encontra à nossa frente merece o nosso precioso tempo ou se, pelo contrário, já podia meter-se a caminho. Good bye my love, good bye.
Então, se a senhora sente a necessidade de pôr à prova o seu companheiro nessas proporções, é porque ele não vale nem um segundo... digo eu, que segundo o meu futuro esposo, sou desprovida de sentimentos só porque não acredito em clichés do tipo: " Ninguém escolhe por quem se apaixona." O.K. Até pode não escolher, mas pode sempre escolher se continua com um traste ou se vai viver a sua vidinha descansada, ou não?
Vejo tantas mulheres escolherem ficar com trastes, só porque já têm uma certa "idade" e, por qualquer motivo, convenceram-se que ou era aquilo ou nada, que mais ninguém lhes pega. Cavam o buraco da sua própria sepultura a troco de uma presença totalmente dispensável, muitas vezes até, devido à pressão social.
A partir dos 30 somos bombardeadas pelas perguntas: " Então e quando é que te casas?" ( mesmo que saibam que nem namorado tens ) ; " e quando é que tens filhos? Já está na hora!". Como se fosse obrigatório seguirmos todos o mesmo trajecto de vida...
Sempre achei que tinha nascido para ficar sozinha, nunca tive o sonho de casar, muito menos de ser mãe. Sinto-me bem comigo própria, ando bem sozinha e escolho ( sim, escolho ) quem me acompanha pela vida. Se calhar é por isso que neste momento tenho uma relação sólida, construída na base da amizade, respeito e companheirismo com um bom homem e vou-me casar com ele. Nunca andei "à caça".
O desespero fareja-se a kms de distancia e as pessoas tendem a aproveitar-se dessa carência, ou seja, não traz nada de bom e proveitoso para a nossa vida.
Esta situação intriga-me e não consigo, por muito que tente ( que não tento ), perceber o porquê de tanta mulher adulta ser tão mal resolvida.
Uma mulher não precisa de um homem, o homem é que precisa de uma mulher, nunca o contrário e a vida é para ser vivida da forma que nos faz feliz e não da forma que a sociedade nos impõe. Chegamos aos 40 sem ter ninguém, e depois? Mais vale só que mal acompanhada.
Deixem lá de ser parolas, pela santa, que triste mesmo é uma senhora não saber o seu lugar e amor bonito mesmo é aquele que nutrimos por nós mesmos, pois só esse nos pode trazer o resto.

Share this:

ABOUT THE AUTHOR

Hello We are OddThemes, Our name came from the fact that we are UNIQUE. We specialize in designing premium looking fully customizable highly responsive blogger templates. We at OddThemes do carry a philosophy that: Nothing Is Impossible

1 comentários:

  1. Uma salva de palmas para quem assim escreve, pensa e age. Eu não tenho pachorra nenhuma para este tipo de mulheres aqui confesso. São umas chatas não só para os homens, mas também para as mulheres que cruzam no seu caminho, por estarem sempre inseguras e não terem auto-estima são uns trambolhos. Acham sempre que todos têm de lhes dar apoio moral para os seus disparates e quando alguém lhes tenta abrir os olhos ainda se zangam e voltam a choramingar.

    ResponderEliminar