Consumir moda de forma consciente



A moda anda em passos acelerados e já ninguém a consegue acompanhar. O fast-fashion parece uma máquina de pipocas a estalar peças de roupa, enquanto as criações ficam para trás.
Alber Elbaz disse recentemente: " Nós designers, começámos como couturiers, com sonhos, com intuição, com sentimentos. Pensávamos: O que é que as mulheres querem? O que é que posso fazer pela mulher para tornar a sua vida melhor e mais fácil? Como posso tornar a mulher mais bonita? Era isto que costumávamos fazer. Depois tornámo-nos directores criativos, por isso temos de criar, mas, acima de tudo, de dirigir. E agora, tornámo-nos fazedores de imagens, criando um buzz e assegurando que tudo fica bem nas fotografias. E o ruído é o que está a dar. O ruído é cool não só na moda. Eu prefiro o suspiro, o murmuro. Acho que é mais profundo, permanece mais tempo."
Já vos disse que sou fã de Alber Elbaz? E das suas roupas?
Serei só eu que estou farta do descartável?
Há cada vez mais, uma necessidade de se mudar a maneira como consumimos moda e transformar o comprador impulsivo num consumidor consciente, que tem em consideração as questões ecológicas, sociais e económicas no momento da compra!
Num mundo como o de hoje, não é fácil ser um consumidor consciente - a tentação é imensa - mas saber o que se precisa e conhecer bem o nosso estilo é imprescindível e tem uma grande importância na altura de ir às compras. É conhecer o guarda-roupa, os valores de estilo que se deseja seguir e comprar apenas o necessário. Consome moda de forma consciente:

1. Estuda o teu guarda-roupa
Conhece bem o recheio do teu guarda-roupa e sabe como o combinar em diversas composições. Assim não terás peças que nunca usas. Verifica a cada estação o que continua no teu armário e o que vais ter de modificar, trocar ou doar.
Um truque: cada vez que usares uma peça, vira o cabide ao contrário. Aqueles que não viraste até ao fim de uma estação, são os das peças que nunca usaste.

2. Não te desfaças de peças
Em vez de te desfazeres de artigos, modifica-os, adequa-os a novos códigos de estilo e padrões de moda. Saber costurar ou ter uma costureira de confiança são boas saídas para dar uma nova vida a uma peça e fazer com que tenha uma segunda oportunidade no teu armário.

3. Não compres por impulso
Compra só quando necessário, para repor algum item ou para alguma ocasião que exija uma peça específica. Quando for inevitável comprar peças novas, dá preferência às de boa qualidade e sustentáveis. Pouco, mas bom.

4. Conhece o modo de produção das marcas
Informares-te sobre o processo de produção das roupas é uma forma interessante de comprares. Algumas marcas de moda escolhem matérias-primas e modelos de produção sustentáveis. Ainda que não existam muitos negócios com esse perfil, vale a pena pesquisar quais são e valorizá-los.

5. Participa em grupos de trocas ou venda de roupa
É importante e divertido participar em trocas de roupa com as amigas ou conhecidas. Muitas pessoas também montam bazares para vender as peças que não usam, mas que ainda têm muito tempo de vida útil com outra pessoa. Hoje em dia também já há em quase todas as cidade do país, lojas de roupa em segunda mão com peças espectaculares e a óptimos preços.


Share this:

ABOUT THE AUTHOR

Hello We are OddThemes, Our name came from the fact that we are UNIQUE. We specialize in designing premium looking fully customizable highly responsive blogger templates. We at OddThemes do carry a philosophy that: Nothing Is Impossible

3 comentários:

  1. Só boas dicas! Eu ando mesmoooo a precisar de fazer uma inspeção a fundo no meu armário e vai-me sobrar espaço no final da limpeza!
    nem mais nem menos | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Fantástico post. Acho mesmo que a forma como consumimos hoje a moda é não só impraticável para os consumidores como frustrante para os pensadores da moda. Claro que para as grandes cadeias de fast fashion quanto mais vendem melhor, mas a procura louca pelo novo esgota todas as inovações demasiado depressa.

    ResponderEliminar