A maquilhagem como a conhecemos hoje



A indústria cosmética, tal como a conhecemos hoje, nasceu nos anos 20 e graças, em parte, à indústria de Hollywood.
A Maybelline começou por comercializar uma caixa de rimmel com espelho, instruções, escova e uma fotografia da actriz de filmes mudos Mildred Davis.


Fizeram-se os olhos mais expressivos, graças ao revirador de pestanas inventado por William Beldue em 1923.


A invenção do batom retráctil, em 1915, tornou o vermelho desejado por todas as mulheres, transportável na carteira. Pintava-se a boca em formato coração, tal como a actriz e dançarina Mae Murray.


Em 1926, Helena Rubinstein, lança um lápis e um molde de papel que permitem delinear a forma na perfeição.


Um pouco mais tarde, apareceu o eyeliner, inspirado na descoberta do túmulo de Tutankamon, no Egipto.


Os vernizes de unhas aparecem graças aos automóveis!
Ao ver o esmalte usado nos carros, cada vez em maior número nas ruas de Paris, a jovem Michelle Ménard pergunta-se se será possível criar algo semelhante para as unhas e junta-se a Charles Revson, dono da empresa Revlon. Assim nasce o verniz das unhas, comercializado pela Cutex e pela Max Factor.


O rouge, conhecido hoje como blush, aplicado em círculos nas bochechas, era obrigatório e segundo Coco Chanel, de preferência por cima de uma pele bronzeada. A quantidade usada tinha a ver com a forma como se queria ser vista.
Afinal de contas, a palavra "flapper" tinha duas origens distintas: referia-se ao movimento que um pássaro faz quando está a aprender a voar e significa uma mulher imoral.


Foi assim que as mulheres passaram de seduzidas a sedutoras, quando descobriram a comunicação não-verbal e a maquilhagem foi um dos pontos fulcrais nessa mudança, a par com a arte e a moda.

Share this:

ABOUT THE AUTHOR

Hello We are OddThemes, Our name came from the fact that we are UNIQUE. We specialize in designing premium looking fully customizable highly responsive blogger templates. We at OddThemes do carry a philosophy that: Nothing Is Impossible

6 comentários: